Arthur digitou seu nome no formulário, a data de nascimento, a profissão e a função desejada na Microsoft – desenvolvedor de software – e clicou no botão enviar.

Em 2017 Já fazia 30 anos que a economia estava estagnada e a Microsoft ainda era a número 1 em software. O sonho de Arthur era trabalhar no topo do mundo. Já tentara mandar seu curriculum, sem nunca receber uma resposta.

Desanimado, andava pela cidade, sem rumo. Parou casualmente num parque de diversões, sem vontade de andar em nenhum brinquedo vagou até uma barraquinha esquecida num canto do parque. Um velhinho lhe ofereceu mostrar o futuro, de tão desanimado, sem forças para dizer não, aceitou.

Era um lugar escuro, cheirando mofo. Uma máquina que parecia aquelas máquinas antigas de ver filmes - vira uma vez no discovery channel. Era uma caixa com um visor e uma manivela.

_ Vamos filho, a fila está esperando. Não havia ninguém na fila.

Meteu a cabeça no visor e acionou a manivela. Levou um tempo até acostumar a vista com aquelas imagens toscas com cores desbotadas. Reconheceu aquele prédio de vidro, era a Microsoft, tinha até uma foto do Bill Gates na parede. A camara passeava pelos departamentos repletos de programadores até que parou em um cubículo. Ele ele! Arthur. Viu a si mesmo no filme, A imagem de Arthur acenou e sorriu.

Sentiu uma mão no ombro.

_ Vamos filho, o seu tempo acabou e a fila está esperando. Ninguém na fila.

Saiu desconcertado de lá. Como fizeram aquilo ? Que tipo de truque era aquele ? Ficou ali ao sol olhando para o infinito até que desfaleceu.

_Acorde! Acorde ! Você está bem ?

Arthur acordou em um salão enorme. Estava de terno, de cabelo cortado e barba feita. Se aprumou sem entender o que estava acontecendo.

_ O senhor é o próximo. A sua entrevista é na sala 13.

Sem forças para recusar, Arthur se dirigiu a sala 13.

_ Bem vindo a Microsoft senhor Arthur. Trouxe seu curriculum ?

Arthur percebeu suspreso que sim, tinha um papel nas mãos e era um curriculum. Entregou a moça como uma criança curiosa, na espectativa da próxima surpresa. Não entendia o que estava acontecendo mas estava se deixando levar pela correnteza.

_ Qual a vaga que o senhor pleiteia ?

Eu pretendo trabalhar em desenvolvimento de software, seja como analista ou como programador. Estou disposto a começar por baixo, meu objetivo inicial é aprender e, quando atingir a maturidade como desenvolvedor, contribuir para a melhoria dos produtos da empresa.

A entrevistadora fitou Arthur com um olhar incrédulo, abriu a gaveta e bateu um carimbo no curriculum de Arthur : FUNÇÂO NÂO DISPONIVEL.

De que planeta o senhor veio ? Faz décadas que a análise e desenvolvimento são robotizados, tudo funciona sem intervenção humana.

_ Próximo.

F I M

1 comentários:

Leo Carrion disse...

Achei que está bem escrito, um pouco lento de andamento. Mas o final não tem muito sentido. A piada talvez fosse boa, mas a parte anterior não preparou em nada o desfecho.

Postar um comentário