MINICONTO VENCEDOR DA PRIMEIRA RODADA!!!!


Na ampulheta, a areia escorria, o tempo acabava. As hordas inimigas haviam atravessado o fosso e a primeira muralha.

Os magos do reino se reuniam no calabouço em torno de seus instrumentos milagrosos. Buscavam um encantamento que acordasse o dragão ou o gigante. Malik, com as mangas arregaçadas e presas com tiras de couro, gesticulava freneticamente com os dedos invocando o oráculo sem sucesso. Ora a divindade se recusava a responder, ora suas respostas não tinham nexo.

- É inútil! Sem o verdadeiro nome das bestas o oráculo não responderá – o mago apoiou a cabeça nas mãos, desconsolado.

- Raios! Raios múltiplos! – praguejou Darien, o decano dos magos. – Centenas de anos estudando a língua dos deuses e sabemos tão pouco. Se ao menos tivéssemos compartilhado o conhecimento...

- E perdermos nossa posição? Nunca! – Malik se ergueu furioso. – Prefiro morrer aqui e agora.

Darien acalmava o colega quando um acólito chegou correndo pelas escadarias de pedra.

- Mestre Turin descobrir o nome do gigante. É Vactiv!

Os olhos de Malik brilharam com esperança e ele imediatamente recomeçou sua mímica para falar com os deuses através do oráculo.

- Que os deuses sejam louvados! – alegrou-se Malik. – Rápido! Pergaminho e tinta!

Com habilidade, o mago traçou as letras e desenhos do encantamento. As fórmulas mágicas eram complicadas, algumas tão absurdas que ele rogava aos deuses para Turin ser capaz de decifrá-las. Secou a tinta com mata-borrão, enrolou o pergaminho e o entregou ao acólito.

- Rápido! Entregue o encantamento para o Mestre Turin. Que ele acorde o gigante e o guie contra nossos inimigos.

O acólito saiu correndo, subindo as escadas, em direção à torre onde o gigante dormia.

- Agora é rezar e esperar – disse Darien com a mão no ombro de um exausto Malik.

E eles esperaram no silêncio do calabouço enquanto a areia escorria marcando a passagem inexorável do tempo.

Subitamente um estrondo! E o calabouço tremeu e parte da argamassa do teto se desprendeu levantando uma nuvem de pó. Os magos se ergueram do chão tossindo. Confusos, tentavam entender o que se passava. O encantamento teria falhado? De tempos em tempos escutavam barulhos vindos de acima. O inimigo estaria destruindo o castelo?

Não demorou muito para o mago Turin surgir afobado, roupas rasgadas e cabelos desregrados.

- Malik! Darien! O gigante expulsou os invasores, mas agora ele se voltou contra nós. Está louco! Preciso de um encantamento para colocá-lo a dormir.

O mago se posicionou de frente ao oráculo, ajeitou as vestes com um safanão, e com os dedos traçou os símbolos cabalísticos. Parou assustado. Recomeçou, os dedos dançando nervosamente. O suor abria sulcos na poeira pelo rosto iluminado pela atemorizante luz azul. Era o fim. O oráculo somente fornecia uma resposta: FUNCTION NOT AVAILABLE.

F I M

4 comentários:

Leo Carrion disse...

Puts... Tava tão promissor... Forçou para colocar o tema hahaha

Felipe disse...

O tema é por demais óbvio - erro de computador - o que dificulta o trabalho de escrever. Achei muito divertida e criativa a sua solução - o oráculo "dando pau". De humor também se vive. Texto bem escrito.

Leo Carrion disse...

Ei Felipe, não é pra comentar ou replicar o meu comentário! hahaha
Vá tomar banho hahaha

Abelardo Domene Pedroga disse...

Aguinaldo....só um comentário tipo micro....GOSTEI...criativo, diferente, vai em uma direção e de repente tem a guinada de 360 graus em direção ao tema.Tá certo que analisando bem ficou um pouquinho forçado, mas o texto em si é muito bom. Como sempre você detonando...

Postar um comentário