532 Palavras

O auditório estava lotado. Nas primeiras filas se concentravam os principais lideres econômicos, responsáveis por 90% do PIB mundial. Por trás de uma muralha de seguranças, um grupo não menos impressionante de acadêmicos e jornalistas. No centro do palco, com seus jeans surrados, camisa xadrez e barba de três dias, o novo guru da tecnologia apreciava a notoriedade recém adquirida.
- Como podem observar, o prédio em que nos encontramos é apenas a ponta do iceberg – ele sinaliza com o apontador laser a maquete holográfica à sua direita. – A maior parte da estrutura permanece no subsolo, onde se localizam os geradores elétricos e a câmara de resfriamento. É aqui, no centro, que repousa o primeiro computador quântico do mundo, o Quanta.
O palestrante aguardou alguns segundos para as exclamações e os flashes.
- Mas vamos ao que interessa. Os senhores, e senhoras, estão aqui para testemunhar o primeiro teste do hipercomputador. Para isso foram selecionados alguns participantes para que fizessem uma pergunta. Só gostaria de lembrá-los que o computador quântico não trabalha com a lógica comum. Não adianta perguntar quanto é 2 + 2 ou qual a melhor trajetória para Marte com menor custo de combustível. Para isso possuímos os multicomputadores. O Quanta utiliza lógica multivalente assimétrica, semelhante ao processo cognitivo do cérebro humano. Com o diferencial que ele trabalha com todo o conhecimento humano armazenado e catalogado pelo próprio computador. Em outras palavras, o Quanta é capaz de intuir, calcular, até mesmo, prever o futuro.
Nova rodada de exclamações e flashes.
- A primeira pergunta será do presidente do Banco Central americano, Gerald Eyemerich.
Na primeira fila, o homem careca se ergueu para melhor ser filmado.
- Na atual conjectura econômica, qual o melhor ação para suplantar a crise?
A resposta ecoou imediatamente pelo salão - A experiência mostra que a expansão da atividade econômica assume importantes posições na definição das opções de desenvolvimento futuro.
Estupefato, Eyemerich abriu a boca e concordou com acesso vigoroso da cabeça, aquela era praticamente a mesma resposta que havia dado ao presidente na semana passada.
Sem esperar o término dos aplausos, a palavra foi passada para outro convidado, a alemã Mirna Steinmeier do Meio Ambiente.
- Irão surgir novas tecnologias capazes de reduzir a emissão de carbono sem custos sociais?
- O incentivo ao avanço tecnológico, assim como a complexidade dos estudos efetuados, contribui para a correta determinação dos índices pretendidos – respondeu Quanta.
E depois ao ministro Yang Jiabao sobre o programa espacial chinês, ele declarou:
- É fundamental ressaltar que a execução deste projeto auxilia a preparação e a estruturação das opções básicas para o sucesso do programa.
A cada nova resposta do computador quântico, mais aumentava o burburinho no auditório e contratos milionários de consultoria eram assinados. Os jornais anunciavam o fim das dúvidas e os acadêmicos profetizavam, sem a ajuda do Quanta, o início de uma era de prosperidade baseada nos ditames da nova geração de computadores, os quânticos.
Varias horas depois, com o auditório vazio, os serventes faziam a limpeza.
- Que horas são, Zé?
- Caros colegas, a análise dos diversos resultados exige precisão e definição das formas de ação – respondeu Quanta, novamente sem nada dizer.

2 comentários:

Leo Carrion disse...

Se a sua idéia foi de fazer uma espécie de fábula, confesso que não entendi :)

ABELARDO DOMENE PEDROGA disse...

Sem dúvida um texto que alcança a quintessência de forma eletrônica/mundana. Há um quê interessante que nos leva a repensar a quadratura do círculo triangular.
Ou seja explica, explica e não fala nada, igual aos políticos que administram os países. Esse computador será candidato, tenha certeza disso....

Postar um comentário